Dias antes do afastamento de Dilma, Juca Ferreira afrouxou regras da Lei Rouanet

Outra notícia estarrecedora se relaciona ao aparelhamento estatal da cultura feito nos tempos do PT, conforme mostra o site Implicante.

Lemos ali que em termos gerais, R$ 1,6 bi em projetos da Lei Rouanet serão dispensados de análise financeira. Acontece que o passivo da lei tem 10.315 processos abertos, ou 76% das propostas aprovadas pelo Ministério da Cultura entre 1992 e 2011.

Dentro desse grupo menor, existem cerca de 8.313 projetos que podem ser beneficiados por portaria assinada por Juca Ferreira, a qual os dispensaria de uma análise financeira. A razão disso é que captaram menos de R$ 600 mil.

O detalhe suspeito é que o ministro da Cultura de Dilma Rousseff assinou a portaria em maio, poucos dias antes do afastamento de Dilma.

Com isso, esse gigantesco número de projeto passará apenas por uma análise técnica, pela qual somente será avaliado se de fato entregaram os serviços prometidos, independentemente dos valores envolvidos.

A suspeita é de que esses projetos tenham constituído aparelhamento cultural, convertendo-se em financiamento de campanha petista, com os artistas beneficiados unicamente por apoiarem o projeto bolivariano de poder.

Anúncios

Deixe uma resposta