“Quero acabar logo com essa agonia”, disse Dilma, sobre impeachment

Isto é o que relata a revista Veja, ao abordar o conteúdo de uma reunião ocorrida na última terça-feira (19) em um jantar oferecido por Temer no Palácio do Jaburu aos presidentes do Senado, Renan Calheiros, e da Câmara, Rodrigo Maia.

Sem pauta específica, a reunião serviria para demonstrar uma situação de harmonia entre os chefes do Executivo e do Legislativo, em comparação com o eterno clima de conflito dos tempos de Dilma.

Na reunião, Renan teria afirmado que o impeachment é uma certeza. Também confidenciou que Dilma havia desabafado com ele, nos seguintes termos: “Quero acabar logo com essa agonia”. O clima, para Dilma e seus militantes, é de que jogaram a toalha.

Os indicadores de Temer estão sendo positivos, embora exista uma pesquisa dizendo que 60% dos eleitores querem novas eleições. Porém, este número não incomoda, haja vista que as pesquisas estão sendo feitas sob a narrativa petista. Muito provavelmente caso os pesquisadores contassem ao público que a narrativa de “novas eleições” não passa de uma última tentativa desesperada de Dilma retomar o poder, o número de pessoas apoiando um plebiscito seria muito menor, possivelmente não alcançando nem 20%.

Ao mesmo tempo, os novos indicadores econômicos e o clima de estabilidade apontam para a solidificação do governo Temer.

 

Anúncios

3 comentários sobre ““Quero acabar logo com essa agonia”, disse Dilma, sobre impeachment

  1. Sou a favor do impeachment, tendo em vista a falta de credibilidade de Dilma, é o sinal de recuperação da economia no pouco período do governo Temer.
    A Dilma Rousseff , pecou em apoiar as mazelas do Lula, e do PT, em geral.

  2. Toda esta podridão parada já começa a feder não entendo porque esperar tanto tempo com o impeachment de Dilma e a cassação de Eduardo Cunha. A impressão que passa e que tem muita gente envolvida e estão com medo de terminarem com este maldito circo.

Deixe uma resposta