Duque negocia delação e ganha transferência de presídio

O ex-diretor de serviços da Petrobrás, Renato Duque, que está preso desde julho do ano passado, foi transferido nesta quarta-feira (20) do Complexo Médico de Pinhais para a carceragem da Polícia Federal em Curitiba.

Segundo a Veja, a movimentação tem a ver com o fato de o prisioneiro ter solicitado um novo acordo de delação premiada, trazendo novos fatos que podem ajudar a melhorar e organizar as investigações da PF. Duque é diretamente ligado ao ex-ministro José Dirceu (PT), que também está preso no Paraná. Ele era operador do partido no esquema de propinas da Petrobrás e já foi condenado em três processos pelo juiz Sérgio Moro.

As sentenças de Duque, somadas, dão mais de 60 anos de prisão, e referem-se aos crimes de corrupção passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Antes, Duque já havia pleiteado uma delação premiada como forma de abrandar sua pena, mas as informações que ele disponibilizou na ocasião foram consideradas insuficientes para justificar algum tipo de abono em suas sentenças. O advogado de Duque, Adriano Bretas, disse que não pode comentar nada sobre a transferência por motivos sigilosos.

 

Anúncios

Deixe uma resposta