Calero está muito incomodado com CPI da Lei Rouanet. Reclamou com Maia.

Conforme diz o Diário do Poder, o ministro da Cultura, Marcelo Calero, se reuniu na manhã desta terça-feira (19) com Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados.

No encontro, manifestou preocupação com a instalação da CPI da Lei Rouanet. Após deixar o gabinete de Maia, Calero disse que pretendia “externar inquietações” sobre a possibilidade de criminalização do setor cultural.

A CPI da Lei Rouanet foi autorizada a funcionar e nesse momento está em fase de indicação de seus componentes. Ela ocupa a vaga que seria da CPI da UNE, que havia sido abatida pelo antecessor de Maia, deputado Waldir Maranhão (PP-MA).

Os trabalhos da CPI da Lei Rouanet serão iniciados em agosto, com a escolha do presidente da comissão e do relator. Calero argumentou: “Há de fato malfeitos que precisam ser punidos, mas não pode deixar de levar em conta uma lei responsável por 3.100 projetos”.

A narrativa adotada por Calero se assemelha bastante àquela confeccionada pelos petista e seus aliados: “A inquietação é para que não haja criminalização em geral”.

Todavia, o ministro da Cultura não explicou como uma CPI direcionada a casos de corrupção causaria uma “criminalização em geral”, o que só poderia acontecer se todos os investigados fossem corruptos.

Anúncios

Deixe uma resposta