Com Serra no Itamaraty, Brasil pode se livrar do BRICS

 

Aproveitando a onda britânica do BREXIT, o Brasil pode ser o próximo a se livrar de uma grande enrascada: o BRICS.

O governo interino de Michel Temer já demonstra sinais claros de interesse em largar o acordo com os países asiáticos e africanos, que em nada beneficia o Brasil, e tentar desmontar o BRICS. Se depender de José Serra (PSDB), Ministro das Relações Exteriores, isso acontecerá logo.

Sempre houve a suspeita de que acordos como Mercosul e BRICS tivessem como finalidade saquear os cofres públicos brasileiros para benefício de algum projeto internacional. Esta suspeita se provou fundamentada quando o governo brasileiro perdoou dívidas milionárias de governos africanos, dentre os quais a maioria regimes ditatoriais. Lula, bem no início de sua gestão, perdoou dívidas com a Bolívia e ainda lhes emprestou mais dinheiro. Em Cuba, Lula e Dilma construíram o Porto de Mariel, uma obra que em nada beneficia o povo brasileiro.

Em verdade, acordos como BRICS são positivos para os outros países, principalmente para a África do Sul e a China. Os chineses, no entanto, estão em crise e vivem uma bolha perigosa em sua economia, o Brasil pode vir a perder muito com esse acordo no futuro, a não ser que o governo saia dele enquanto ainda há tempo.

Segundo Oliver Stuenkel, professor assistente de Relações Internacionais na Fundação Getúlio Vargas em São Paulo, “muitos brasileiros acreditam que é hora de deixar” os BRICS.

 

Anúncios

4 comentários sobre “Com Serra no Itamaraty, Brasil pode se livrar do BRICS

  1. tudo que inventado pelo pt cheira a maracutaia vomos logo serra saia dessa robada o mais rapidamente que tenho certeza que os brasileiros vão ti aplaudir

  2. Eu tinha certeza que o Michel Temer,nao continuaria com essas relações retrógradas , com esses países quebrados e , em ditaduras. Temer é Serra , que lutaram contra a ditadura militar. Não cairiam nesse papo atrasados . São homens de visão e querem um bom futuro ao Brasil e, aos brasileiros e brasileiras.

Deixe uma resposta