Após prometer “sangue” contra o impeachment, deputado do PT ataca privatizações

Ligado às alas mais extremistas do socialismo brasileiro, o deputado federal João Daniel (PT/SE) é outro a se posicionar contra as privatizações, o que poderia ameaçar radicalmente os projetos de poder de partidos como PT, PCdoB e PSOL. Assim como acontece em países como Venezuela e Equador, os chamados partidos bolivarianos possuem como meta central o aparelhamento de estatais para aquisição de verba para apoiadores e membros, assim como para distribuição de cargos.

Daniel lutou ferrenhamente contra as privatizações acontecidas no tempo de Fernando Henrique Cardoso. Hoje, sua narrativa não mudou, incluindo dizeres como estes: “Vivemos novamente o mesmo ataque da época da privatização da Vale do Rio Doce, um ataque legalizado, frontal, contra a nação brasileira”.

O deputado socialista culpa a Fiesp e os dirigentes da CNI: “É vergonhoso como se comportam os dirigentes da CNI nesse momento, e esse governo, que nasceu de um golpe, tem pressa, porque não tem certeza que se consolida esse golpe, então tem presa em entregar nossas riquezas, entre elas o petróleo”.

Daniel não forneceu argumentos para explicar porque os brasileiros pagam o combustível mais caro do mundo se o “petróleo é dos brasileiros”.

Em setembro de 2015, o mesmo deputado havia prometido violência caso o impeachment de Dilma acontecesse: “Não se enganem! Esse impeachment terá cor de sangue, porque as ruas dirão que a classe trabalhadora não se renderá, não se curvará e não baixará a cabeça.”

As manifestações pelo impeachment transcorreram normalmente, sem a violência prometida. Enquanto isso, a Venezuela, onde o socialismo bolivariano avançou como em nenhum outro lugar na América Latina, hoje utiliza recursos da estatal petrolífera para adquirir e manter milícias que praticam violência contra a população.

Anúncios

Deixe uma resposta