Em vez de fim do “Centrão”, Rosso fala do início de um padrão da base Temer

Como diz o Estadão, o líder do PSD, Rogério Rosso (DF), considerou que sua derrota não coloca fim ao “Centrão”. Ao invés, deve gerar uma nova composição da base aliada do governo.

Rosso foi derrotado no segundo turno da votação, realizada no início da madrugada de quinta-feira (14) pelo deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ). Maia conduzirá a Casa até fevereiro de 2017.

Rosso afirmou: “Não é o fim do centrão, mas o início de uma consolidação do padrão da base Temer. É o início de um novo momento partidário”.

O deputado brasiliense afirmou não guardar “mágoas” pelo fato de o Palácio do Planalto ter apoiado a candidatura de Maia. Rosso também disse não ter visto problemas em recentes declarações feitas por Michel Temer, que falou em “desidratar” o Centrão (PSD, PP, PR, PTB, PSC e partidos nanicos) e a antiga oposição (PSDB, DEM, PPS).

Temer afirmou: “É preciso unificar isso. Quero que seja tudo situação”, afirmou Temer.

Em relação às declarações de Temer, Rosso afirmou: “O presidente me ligou e me perguntou se eu tinha visto a capa do Estadão. Falei que interpretei a manchete como absoluta verdade porque a matéria em si dá uma linha não de que o Centrão acabou, mas que pela configuração da eleição, as forças aqui internas vão se agrupar. Eu concordo”.

As configurações atuais estão demonstrando alta capacidade de governabilidade para o governo Temer, quase em oposição ao que acontecia com o governo Dilma.

Anúncios

Deixe uma resposta