Dilma muda de ideia e fala em ir ao Senado se defender do impeachment

A presidente afastada Dilma Rousseff disse em entrevista à Rádio Itatiaia, de Minas Gerais, que irá ao plenário do Senado fazer sua defesa pessoalmente na sessão do julgamento final do impeachment. Perguntada sobre o motivo da mudança, ela disse que não foi à comissão do impeachment pois “precisa do voto do conjunto dos senadores e não de parte dos senadores”.

Ainda segundo Dilma, é possível reverter o processo. Repetindo o tom de campanha eleitoral adotado ao longo do processo, a petista fez referência ao lema de sua campanha ao dizer que seu coração continua valente, apesar de “dolorido”. A votação deve acontecer no mês de agosto.

“Eu não fui à comissão justamente pelo fato de que a comissão é uma comissão, não tem o conjunto dos senadores, e eu preciso do voto do conjunto dos senadores, não de parte dos senadores. Nosso interesse é falar para todos os senadores. Essa oportunidade que eu tenho, garantida pela Constituição, eu vou utilizá-la”

Na entrevista, Dilma não perdeu a oportunidade de criticar o ex-aliado Eduardo Cunha. Comentando a renúncia do ex-presidente da Câmara, a presidente afastada disse que foram “lágrimas de crocodilo”.

Advertisements
Anúncios

Deixe uma resposta