Presidente da Casa Hope diz que recuo de Haddad foi para “despistar a mídia”

Em entrevista ao Jornal da Manhã, da rádio Jovem Pan, a presidente e fundadora da Casa Hope Cláudia Bonfiglioli comentou sobre o aparente recuo do Prefeito de São Paulo Fernando Haddad, que havia anunciado a desistência em cancelar o convenio municipal com a instituição que oferece moradia e auxílio a crianças e adolescentes com câncer durante tratamento em SP. Cláudia afirmou que a Prefeitura fez isso para “despistar a mídia” e que não recebeu sequer um telefonema.

A Secretaria Municipal de Saúde informou as gestoras da Casa Hope ainda no final de junho, que a instituição não receberia mais o repasse de R$ 97,2 mil, que representa 25% da receita da ONG. Pressionado pela péssima repercussão, Haddad desistiu de cortar os repasses. Porém a decisão ficou registrada apenas informalmente, e não houve nenhum contato com a instituição. “Em um momento como esse, cortar 25% da verba desse convênio faz uma falta enorme. É um dinheiro que não consigo repor de uma hora para outra. Esse nosso apelo é bastante significativo. Não podemos ficar sem esse convênio”, declarou Cláudia. Segundo ela, a prefeitura não entrou em contato nem antes e nem depois do recuo. “Em 20 anos de Casa Hope nunca tive um desrespeito tão grande como nessa vez”.

A gestão de Fernando Haddad tem sido bastante criticada nos aspectos sociais. Além de ter avançado contra a Casa Hope, Haddad enfrenta críticas até de setores simpáticos ao seu governo por ter ordenado aos agentes da Guarda Civil Metropolitana que recolhessem os cobertores e papelões dos moradores de rua durante os dias mais frios do ano em São Paulo. Esses são alguns dos fatos que justificam a rejeição recorde do prefeito, que ultrapassa os s55% e tornam incertas as chances de reeleição.

Anúncios

Deixe uma resposta