Presidente da CUT é indiciado por incitação à violência

Vagner Freitas, presidente da CUT, foi indiciado por incitação ao crime pela Polícia Civil do Distrito Federal. A entidade é ligada ao PT. Em agosto de 2015, durante discurso feito dentro do Palácio do Planalto, Freitas convocou os manifestantes a “pegarem em armas” para defender o mandato de Dilma Rousseff.

Freitas havia dito:

Quero dizer em alto e bom tom que somos defensores da unidade nacional, na construção de um projeto nacional de desenvolvimento para todos e para todas e que isso implica agora, neste momento, ir para as ruas entrincheirados, de arma na mão, se tentarem derrubar a presidenta Dilma Rousseff. Seremos, presidenta Dilma – qualquer tentativa de atentado à democracia, à senhora ou ao presidente Lula -, nós seremos o exército que vai enfrentar essa burguesia na rua.

As investigações do caso transcorrem na 5ª Delegacia de Polícia (Asa Norte), mas Freitas será intimado a depor em São Paulo, cidade onde reside. Após seu depoimento, o conteúdo será enviado de volta ao DF, onde ocorrerá o julgamento. Conforme noticia o G1, a pena para incitação ao crime – descrita no artigo 286 do Código Penal – varia entre três a seis meses de detenção e multa, o que aumentaria as chances de Freitas ter a penalidade revertida em serviços comunitários.

O delegado da 5ª DP Luiz Gustavo Neiva Ferreira, porém, disse que se essa for a interpretação ao MP, o caso pode ser remetido novamente à Justiça Federal. Ferreira conclui: “Nosso entendimento não é esse, mas o MP pode entender que há ofensa à Lei de Segurança Nacional. Isso fica a cargo deles e do juiz”.

Anúncios

Deixe uma resposta