Eleições Diretas antecipadas podem ser a consolidação de um duro golpe vermelho sangue

Há meses existe em andamento um projeto paralelo que exige a abertura de eleições diretas. Isso começou, para que todos lembrem, logo após o processo de impeachment de Dilma Rousseff ter sido devidamente consolidado. Figuras como Marina Silva foram as primeiras a levantar essa bandeira, que também acabou sendo apoiada por Luciana Genro. Tão logo Dilma foi deposta do cargo, praticamente toda a extrema-esquerda passou a apoiar a causa. Aí, Gleisi Hoffmann, Kátia Abreu, Lindbergh Farias e até a própria Dilma passaram a pedir eleições diretas.

Os opositores da esquerda, que não costumam ser muito habilidosos ou atenciosos com os detalhes, em parte também aderiram a este movimento. A diferença, obviamente, é que enquanto estes queriam somente uma nova eleição para terem a chance de escolher novamente outro presidente, aqueles estavam planejando ardilosamente uma manobra para colocar Lula de volta no poder antes que a Lava-Jato avançasse. E o plano ainda é o mesmo, mas agora está mais perto de acontecer.

Após o escândalo de ontem, envolvendo o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves, que é da base governista, uma parte daqueles que se dizem de direita aproveitaram o momento de ebulição para cair no logro da extrema-esquerda. Assim, começaram a pedir por Diretas Já!, a bandeira levantada originalmente por Marina, a comunista melancia. Infelizmente, isso também irá induzir uma boa parte da população, daquelas pessoas que não têm engajamento político, e se acontecer poderá ter sido o golpe vermelho sangue mais duro já sofrido por esta nação.

É preciso entender que no atual momento, um dos maiores beneficiados com este escândalo político é Lula. As pessoas sabem, sim, que Lula é corrupto, mas há uma diferença. Embora corrupto, Lula é habilidoso. Não foi por acaso que ele sobreviveu ileso ao escândalo do Mensalão, conseguindo se reeleger no ano seguinte como se nada tivesse acontecido. Sendo o malandro que é, Lula soube contornar a situação de modo que o escândalo, embora gravíssimo, não foi sequer capaz de abalar estruturalmente o seu governo.

Temer não é como ele, assim como os petistas não são oposicionistas quaisquer. Como opositores, os petistas minaram o governo Temer de todas as formas, mesmo no meio de várias derrotas consecutivas. Eles não deram um só dia de paz a este país, e o presidente Temer também não foi capaz de garantir uma sequer de suas vitórias. Sendo assim, esse clima de instabilidade vem gerando desconforto há muito tempo.

Se pararmos para pensar, não tivemos nenhum dia de sossego desde 2013, quando milhões foram às ruas protestar contra tudo e contra todos. No longo prazo, toda essa tensão política pode acabar resultando em algo bom ou algo ruim, e ainda não dá para prever, mas de qualquer forma no momento ela é desagradável. O povo, por sua vez, vai ficando cada vez mais revoltado ou anestesiado, com uma terrível sensação de insegurança, e então se lembra de um tempo em que a corrupção ficava escondidinha, quando um certo molusco governava a nação e levava tudo na surdina.

“Aquele era um bom tempo”, muitos devem pensar, sem refletir que as mesmas coisas que acontecem hoje já aconteciam naquela época, mas sem que soubéssemos.

Outra questão que é preciso abordar, no momento, é a reação inocente dos seguidores do deputado Bolsonaro. Muitos deles estão levantando a bandeira das “Diretas Já!”, acreditando com isso que poderão colocar o deputado no poder mais rapidamente. É um erro de leitura da realidade. Uma eleição direta antecipada seria péssima para Bolsonaro, ele sequer teria tempo hábil para conseguir articular sua candidatura.

De acordo com a atual situação dele em seu partido, Bolsonaro não conseguiria sair como candidato. Por isso, para ele, é bem melhor aguardar até o ano que vem. Até lá ele terá tempo de articular alianças e definir seu caminho. O próprio deputado sabe disso, tanto é que na manhã de hoje ele defendeu a eleição indireta, que é o rito constitucional, em entrevista ao Datena na rádio.

Seja através de renúncia, impeachment ou cassação, se Michel Temer cair, será um deus nos acuda. Mas a eleição direta antecipada é a pior saída para a população. Sofreremos um golpe socialista tal qual o que foi feito há muitos anos na Venezuela.

Anúncios

Um comentário sobre “Eleições Diretas antecipadas podem ser a consolidação de um duro golpe vermelho sangue

  1. Faço minhas as suas palavras. Num momento sensível como este, muito cuidado com os vermelhos e seus embustes para venezuelizar de vez o nosso Brasil. Ao contrário dos cidadãos de bem, que somente se preocupam com coisas construtivas como trabalhar e/ou estudar, a marcha das mortadelas está com as tropas de prontidão prontas para o golpe.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s